Actoil

Blog Actoil

Voltar

Soja tem maior participação mensal na produção de biodiesel em quatro anos

12 ago

Desde agosto de 2011, a soja não tinha uma liderança tão larga sobre as demais matérias-primas utilizadas pela indústria de biocombustíveis.

O óleo de soja correspondeu a 82,4% da produção de biodiesel no mês de junho segundo informação oficial da ANP. Desde agosto de 2011 – quando a fatia foi de 85,2% – a soja não tinha uma liderança tão larga sobre as demais matérias-primas utilizadas pela indústria de biocombustíveis.

No mês passado, a soja já tinha superado a marca dos 80% de participação do mercado, coisa que já não acontecia há praticamente um ano. Apesar da participação maior, maio manteve o recorde em termos de óleo de soja utilizado uma vez que a produção da indústria em junho foi 7,1% mais fraca do que no mês anterior.

No mês passado, foram consumidos 259,4 milhões de litros de óleo de soja. Isso corresponde ao esmagamento de 1,24 milhões de toneladas de grãos da oleaginosa. Isso corresponde a 44,4% do volume total processado durante o período, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove). 

Mudança
O aumento na participação do óleo de soja traz lembranças dos anos de 2010 e 2011 quando o uso da matéria-prima superava costumeiramente os 80%. A partir de setembro de 2011, no entanto, o mercado ganhou outra configuração, com a soja rondando os 75%.

Nessa nova configuração, o sebo bovino e o óleo de algodão – inicialmente –avançaram abocanhando uma participação maior no mercado. 

O crescimento do algodão começou um pouco antes e atingiu o pico no ano de 2012 quando chegou a 4,5% do mercado. Desde então ele começou a refluir enquanto o sebo prosseguiu sua trajetória de alta até 2014, quando chegou a 20,4%. Agora, ambos parecem estar tendo dificuldade em manter sua parcela no mercado.

Em junho, o sebo aumentou um pouco sua participação chegando a 16% do mercado – contra 15,8% em maio – totalizando 50,4 milhões de litros fabricados. Contudo, vale ressaltar que o sebo vem caindo continuamente desde janeiro quando o percentual estava pouco acima de 23%.

Mas a maior mudança está no óleo de algodão que, tradicionalmente, é a terceira matéria-prima mais usada pela indústria. Em junho, ele não passou da quinta colocação, sendo superado pelas categorias “outros materiais graxos” com 0,61% e pela gordura de porco com 0,53%. 

No mês passado, o algodão teve sua pior participação mensal na história do programa com 0,16% – foram apenas 500 mil litros de biodiesel fabricado com óleo de algodão no período. 

Semestre
Totalizando o uso de cada matéria-prima ao longo do semestre temos: 77,7% para o óleo de soja com um acumulado de 1,46 bilhão de litros; sebo bovino com 19% e 356,5 milhões de litros; outros com 1% e 19,1 milhões de litros fabricados; algodão com pouco menos de 1% e 18,4 milhões de litros e gordura de porco com pouco mais de 0,5% e 10,2 milhões de litros fabricados.
Nenhuma outra matéria-prima conseguiu ultrapassar a marca dos 10 milhões de litros.

Fonte: Biodieselbr

Comentários 0